voltar ao blog

A coragem que habita em mim…

16 de junho de 2016 Artigos

Faz exatamente um ano que a descobri dentro de mim.

Ela era tão tímida, escondida e inacessível que acreditei, por muito tempo, que ela nem existia mais. Mas não…ela estava lá quando eu mais precisei, em junho de 2015, quando se encerrou um ciclo da minha vida: eu saía do trabalho que foi meu por 14 (catorze) longos anos.

Sim, até então esse tinha sido o meu único trabalho e lá aprendi muito. Conheci diferentes pessoas, viajei para muitos lugares, tive grandes experiências. No início, tudo foi uma grande descoberta, mas, ao longo do tempo, ele começou a me incomodar, me fazer refletir sobre as minhas escolhas, os meus valores, o meu propósito, se deveria permanecer lá ou não.

O fato é que, mesmo tendo a intuição e inúmeras demonstrações de que não queria e não devia mais ficar lá, eu resistia, tinha um grande medo de mudar, de começar algo totalmente diferente, do zero, com toda a coragem que hoje eu sei que habita em mim.

Eu nunca fui uma pessoa entediada, acomodada ou desinteressada, mas me permiti uma vida mediana no trabalho, sem sangue no olho, sem grandes emoções, tipo um namoro que a gente já começa sabendo que não vai dar certo e insiste, sabe? E quando acaba a gente acha que foi o melhor namoro que existiu, mesmo sabendo que não, que esse pensamento só veio à cabeça pelo término, pelo encerramento de um ciclo que, pela lei da vida, é algo tão natural, orgânico até.

Cronologicamente faz um ano, mas dentro de mim faz muito mais. Me sinto como se tivesse feito um mestrado em escolhas: as minhas.

Aprendi que, se existe uma lei que rege a vida, é a lei da mudança. É como diz Lulu Santos: “Tudo muda o tempo todo no mundo”. Mas o meu mundo só mudou quando eu mudei. Quando entendi que eu não era vítima de nenhuma situação ou crise e que eu poderia mudar qualquer coisa na minha vida, a qualquer tempo, se eu quisesse e escolhesse.

Aprendi que as experiências que vivenciei não se perderam, ao contrário, continuam vivas dentro de mim e que posso usá-las em outros lugares e ocasiões sempre que quiser.

Que as crises são um choque que o Universo – em toda a sua abundância – nos dá por não termos entendido os seus sinais para realinhamento e, para nos colocar no lugar onde deveríamos, por propósito, estar.

E, que estar alinhado com quem você é e manifestar o seu propósito para o mundo – aquilo que você nasceu para fazer – é a forma mais simples (nem por isso fácil) e genuína de ser feliz, de contribuir com um mundo melhor e, ainda, de ganhar dinheiro com a sua paixão.

E foi lá, bem na minha insatisfação, no meu medo, na minha angústia, no meu choro e no meu “mimimi” que entendi que precisava trocar a chave. Saí da zona da tristeza, do sentimento de inadequação, do medo paralisante de um trabalho que já não fazia sentido para mim para a coragem de ser quem eu sempre fui: completamente apaixonada por pessoas e por transformações. Coach.

A jornada de compreender quem eu sou e de viver do que eu amo não foi fácil e está apenas começando, mas já valeu à pena.

Se você está passando por um momento de crise, celebre, avalie e questione-se: o que tenho a aprender com essa situação? De que forma posso usar esse presente do Universo a meu favor e me realinhar? Como expressar e manifestar os meus conhecimentos e habilidades para o mundo?

Sim, nós temos escolhas e sempre é tempo de escolher. E o Universo conspira a nosso favor. E, se nesse processo de dor entendermos as pessoas e situações como mestres e tivermos a capacidade de compreender, sem resistências, que o momento atual é perfeito e que o sentido da vida é a evolução, lá estará ela, livre, leve e solta – a coragem – para abraçar as nossas escolhas e quem nós somos em essência.

Com certeza a coragem que habita em mim também habita em você. Quando for chegada a hora, ela te surpreenderá, eu te asseguro.

Com amor.

 


voltar